terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Ponto de devoção, quarto de padre Rodolfo Komorék será reaberto


Sacerdote viveu os últimos três meses de vida em sanatório de São José.
Nesta terça-feira (11), morte do religioso completa 63 anos.


Quarto onde padre Rodolfo Komorék viveu os últimos três meses de vida e que virou ponto de peregrinação. (Foto: Divulgação/Código BR)Quarto onde padre Rodolfo Komorék viveu os últimos três meses de vida e que virou ponto de peregrinação. (Foto: Divulgação)
 
No dia em que o falecimento de padre Rodolfo Komorék completa 63 anos, o quarto em que ele viveu os últimos três meses de vida, no Sanatório Vicentina Aranha, será reaberto à visitação após uma missa nesta terça-feira (11) às 19h na capela do parque. A reinauguração marca a primeira ação para a futura criação de um museu sanatorial em São José dos Campos.

O quarto, que ficou fechado por mais de uma década, passou por uma reforma no último mês e todos os objetos que pertenceram ao padre foram realocados no quarto. Entre os itens estão a cama do pároco, o confessionário feito por ele, uma estola, fotos e a radiografia do pulmão do pároco, que morreu de tuberculose em 1949, aos 58 anos de idade - ele viveu 9 anos no sanatório.

De acordo com a diretora da Associação Joseense do Fomento da Arte e da Cultura (Ajfac), Ângela Tornelli, a maior preocupação neste projeto é preservar a história e poder deixar as relíquias pertencentes ao padre Rodolfo mais perto dos devotos.

"Mesmo com o quarto fechado, temos recebido sempre muitas visitas de devotos, que faziam suas orações e deixavam flores do lado de fora. Agora, por meio de uma ante-sala, essas pessoas poderão ter um contato maior com o cenário onde o padre viveu seus últimos dias e objetos que pertenceram a ele. A cidade ganha um novo ponto de peregrinação", disse Ângela.

Para receber novamente os fiéis, a reforma contou com nova pintura e remoção do teto, que ameaçava ceder. Uma parede de vidro foi instalada para preservar o quarto do contato direto com os devotos.

HistóriaPadre Rodolfo Komórek chegou ao Brasil em 1924 para dar atendimento espiritual aos colonos poloneses de Dom Feliciano (RS). Mais tarde, foi transferido para o Santuário de Nossa Senhora Auxiliadora de Niterói (RJ) e desenvolveu atividades como vigário cooperador em Luiz Alves (SC).

No Vale do Paraíba, a primeira cidade onde chegou foi Lavrinhas, na época em que começou a sentir os primeiros sintomas de doença pulmonar. Veio morar em São José dos Campos no início da década de 1940, onde teve forte atuação na Paróquia da Sagrada Família.

Mesmo durante o tratamento contra a tuberculose, padre Rodolfo dedicou-se a atender doentes em hospitais, asilos e pensões hospitalares da cidade, considerada na época uma estância climática.
O padre é considerado santo por muitos devotos e tem uma série de milagres atribuídos a ele. O nome dele está em processo de beatificação do Vaticano.

ServiçoO Parque Vicentina Aranha fica na Rua Engenheiro Prudente Meirelles de Moraes, 302 – Vila Adyana. Para outras informações o telefone é o (12) 3911-7090.
O horário de visitação do quarto de padre Rodolfo Komorék é de segunda-feira a domingo das 8h às 18h.

Nenhum comentário:

Postar um comentário